sábado, 25 de fevereiro de 2017

Ela ia para a Adoração Eucarística às 3 da manhã quando foi parada por 6 homens armados

[aleteia]

Em entrevista à Rádio Maria, da Argentina, o sacerdote mexicano pe. Patricio Hileman relatou um fato arrepiante ocorrido na violenta Ciudad Juárez, situada na fronteira entre o México e os Estados Unidos, no ano de 2013.
A cidade estava em estado de sítio por conta da sangrenta disputa entre facções do narcotráfico, em particular os cartéis de Juárez e Sinaloa, este último chefiado pelo famigerado chefão Joaquín “el Chapo” Guzmán Loera. No meio de um cenário de extrema violência, com elevada taxa de homicídios diários, uma paróquia solicitou com urgência que fosse aberta uma capela de Adoração Perpétua. Bastaram três dias para transformar a iniciativa em realidade.
Naquele mesmo ano, uma mulher se dirigia à capela às 3h da manhã para fazer o seu turno de Hora Santa quando seis soldados a interceptaram, questionaram sua presença na rua àquela hora e duvidaram de que ela estivesse mesmo indo a uma capela quando tudo estava fechado.
Ela os convidou a acompanhá-la. Quando chegaram à capela, os soldados ficaram de boca aberta ao encontrarem outras seis mulheres fazendo a adoração eucarística às três da manhã – e de boca mais aberta ainda quando ouviram de uma delas o seguinte:
Você pensa que está nos protegendo? Nós estamos orando por você 24 horas por dia”.
Um dos soldados, segurando a arma, começou a chorar e caiu de joelhos diante do Santíssimo Sacramento. Na madrugada seguinte, às 3h, aquele mesmo soldado, vestido à paisana, estava de joelhos na capela, fazendo a sua hora santa diante do Santíssimo Sacramento da Eucaristia e “chorando oceanos de lágrimas”.
Ciudad Juárez vem experimentando uma queda acentuada nas taxas de homicídios. Até 2010, o lugar aparecia frequentemente no ranking das 10 cidades mais violentas do mundo. Nos últimos anos, saiu da lista e ocupa posições melhores que várias cidades do assim chamado “primeiro mundo”, como as norte-americanas Baltimore e New Orleans. O número de homicídios em Ciudad Juárez ainda é alto e continua exigindo firmes esforços por parte do governo e muita oração por parte dos cristãos – mas já caiu de 3.766 em 2010 para 256 em 2015.
Deus sempre pede que façamos a nossa parte, e, entre as várias medidas adotadas para superar a violência nessa cidade do norte mexicano, parece que a Adoração Eucarística Perpétua tem sido uma arma de altíssimo poder de fogo na luta pelo bem e pela paz!
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...