terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Evidência Bíblica para a Virgindade Perpétua de Maria

[pagadiandiocese]
De Dave Armstrong

Maria “permaneceu virgem ao conceber o seu Filho, uma virgem ao dar-lhe nascimento, uma virgem ao levá-lo, uma virgem ao amamentá-lo ao peito, sempre virgem” (CCC 510)


Puto (1490-1576), “A Apresentação da Virgem Maria no Templo de Jerusalém”

Era uma vez, quase nenhum cristão negou que Maria, a mãe de Jesus, era perpetuamente virgem: incluindo os protestantes. Dos primeiros líderes desse movimento, praticamente todos aceitaram plenamente essa doutrina: incluindo Lutero, Calvino, Zwingli, Bullinger, Turretin e Cranmer. Além disso, a maioria dos exegetas protestantes continuaram acreditando por pelo menos mais 350 anos.

Será que mais professores vão ultrapassar os limites das aulas obrigatórias 'LGBT'?

[lifesitenews]
Por Linda Harvey


A porta está agora aberta em muitas escolas públicas para corromper professores para entrar e envenenar as mentes e corpos de crianças impressionáveis. A maioria dos professores tenta fazer o que é certo, mas com as chamadas políticas escolares de "não-discriminação", adultos sexualmente imorais e ativistas pró-aborto / "LGBTQ" não podem ser impedidos de acessar a sala de aula para crianças.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Missa: liturgia eucarística

[aleteia]
Por Padre Bruno Roberto Rossi

Além do pão e do vinho, matérias do Sacrifício, os fiéis ofertavam alguns produtos



Hoje, entrarei na parte da Liturgia Eucarística, cujo significado é teologicamente muito rico e, por isso, merecedor de atenção.
É São Justino (†165) quem, no início do século II, descreve o momento chamado das ofertas – que parecia muito simples – com as seguintes palavras: “Quando cessamos de orar [a Oração da Comunidade – nota minha], são levados pão, vinho e água àquele que preside… o qual eleva aos céus orações e ações de graças” (Apologia I, 65. 67).

Três formas de viver – Fulton Sheen

[bibliacatolica]


Parte da doutrina cristã é a ideia de que o cristão deve ser uma imitação de Cristo, tomar sua cruz e seguir o caminho que foi tomado pelo Senhor.
Isso não ocorre por acaso. Indo a algum lugar, podemos não seguir nenhum caminho específico, seguir um caminho específico apenas porque é o caminho, e podemos ainda seguir um caminho porque desejamos verdadeiramente seguir aquele caminho. Da mesma forma o Venerável Fulton Sheen fala sobre Cristo: é o último caminho, o caminho com amor.

Tradução: Andrey Costa




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...