domingo, 13 de novembro de 2016

Sinédrio pede que Putin e Trump construam Terceiro Templo em Jerusalém

Do blog juliosevero
Adam Eliyahu Berkowitz




“Assim, pois, diz Yahweh ao seu ungido: a Ciro, cuja mão direita Eu controlo com firmeza para subjulgar nações e desarmar reis; para abrir diante dele as portas, de tal maneira que estas não possam ficar trancadas.” (Isaías 45:1 King James Atualizada)
O Sinédrio Nascente está pedindo que o presidente russo Vladimir Putin e o presidente eleito dos EUA Donald Trump juntem forças e cumpram seus papéis ordenados pela Bíblia de reconstruir o Templo Judaico em Jerusalém.
O Rabino Hillel Weiss, porta-voz do Sinédrio, fez contato com a agência noticiosa israelense Breaking Israel News para anunciar que a eleição de Trump, que prometeu reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, associada ao desejo expresso de Putin de que o Templo seja reconstruído, estimulou o tribunal judaico a enviar uma carta oferecendo aos dois a oportunidade de agir como Ciros modernos: reis não judeus que reconhecem a importância de Israel e do Templo.
Ciro o Grande, rei da Pérsia no sexto século a.C., anunciou no primeiro ano de seu reinado que ele sentiu de Deus que devia fazer um decreto para que o Templo de Jerusalém fosse reconstruído.
“Assim fala Ciro, rei da Pérsia: ‘[Yahweh], o Deus do universo, entregou em minhas mãos todos os reinos da terra; ele me encarregou de construir para sua pessoa uma Casa em Jerusalém, nas terras de Judá.” (Esdras 1:2 King James Atualizada)
Ciro enviou os judeus de seu governo para Israel com uma quantia considerável de dinheiro com a qual reconstruir o Templo. O Sinédrio planeja pedir que os dois líderes mundiais assumam esse antigo decreto bíblico e apoiem o povo judeu em sua missão santa.
O Rabino Weiss explicou que as eleições dos EUA estão transformando o sonho eterno dos judeus numa possibilidade muito real.
“Estamos prontos para reconstruir o Templo. As condições políticas hoje, em que os dois mais importantes líderes nacionais do mundo apoiam o direito judaico a Jerusalém como sua herança espiritual, é historicamente sem precedente,” o Rabino Weiss disse a Breaking Israel News.
A carta do Sinédrio comenta que a vitória agitada de Trump foi devido ao seu apoio a Jerusalém, e recorda Trump de sua promessa de campanha de mudar a embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém, na prática reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A Lei da Embaixada de Jerusalém, aprovada no Congresso dos EUA em 1995, iniciou a mudança da embaixada, mas foi revogada desde então por todos os presidentes americanos. O Sinédrio pede que Trump revogue o veto depois de assumir a presidência.
O Sinédrio também recordou a ligação de Putin com o Templo em sua carta. Durante sua terceira viagem oficial a Jerusalém em 2012, Putin fez uma visita noturna ao Kotel (Muro Ocidental). Quando chegou ao local santo, o líder russo permaneceu em silêncio por vários minutos, oferecendo uma oração pessoal. Depois da oração, ele leu os Salmos num livro de orações em língua russa e hebraica.
Um israelense que estava próximo chamou em russo: “Bem-vindo, presidente Putin.” Putin se aproximou do homem, que explicou a importância do Monte do Templo e do Templo Judaico. O site noticioso hebreu ortodoxo Chadrei Charedim noticiou que Putin respondeu: “É por essa razão exata que vim aqui — orar para que o Templo seja construído de novo.”

Depois dessa conversa incrível, o Sinédrio enviou uma carta a Putin pedindo que ele cumprisse sua oração. Na época, o presidente Putin não respondeu ao pedido do Sinédrio, mas agora que o presidente Trump é um aliado potencial desse projeto, o Sinédrio acredita que é hora de Putin assumir um papel ativo na reconstrução do Templo.
Além de seu pedido com relação ao Templo, o Sinédrio está também pedindo que Putin e Trump renovem a resolução da Liga das Nações de 1920 conhecida como Tratado de San Remo, o qual essencialmente possibilitou a criação de um Estado judaico dividindo o Império Otomano. O tratado incorporou a Declaração de Balfour, feita pela Grã-Bretanha em 1917. Essa declaração dava reconhecimento e apoio oficial ao estabelecimento de Israel.
O presidente americano Calvin Coolidge ratificou o Tratado de San Remo em 1925, assim tornando o reconhecimento de um Estado judaico legalmente obrigatório na legislação americana. O Sinédrio frisou que é decisivo neste tempo, em que a Autoridade Palestina está tentando reescrever a história mundial fazendo campanha contra a Declaração de Balfour, fortalecer o compromisso americano histórico com o Estado de Israel readotando o tratado.
O Rabino Weiss frisou que apoiar a reivindicação dos judeus a Jerusalém traria benefícios à Rússia e aos EUA, assim como ao mundo inteiro.
“Os líderes da Rússia e EUA podem liderar as nações do mundo à paz mundial por meio da construção do Templo, a fonte da paz,” explicou o Rabino Weiss. “Isso compensará as resoluções vergonhosas da UNESCO que são as causas básicas do aumento do terrorismo e violência.”
No mês passado, a Organização Educacional, Científica e Cultural das Nações Unidas (UNESCO) aprovou duas resoluções que rejeitam todas as ligações entre a cidade de Jerusalém e o povo judeu, transferindo para o islamismo o monopólio religioso de muitos lugares santos do Judaísmo.
Traduzido por Julio Severo do site noticioso israelense Breaking Israel News: Sanhedrin Asks Putin and Trump to Build Third Temple in Jerusalem
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...