terça-feira, 6 de setembro de 2016

O falso conceito de caridade e a falsa confiança na misericórdia é o que mais tem levado almas para o inferno

[rainhamaria]
Por Padre Rodrigo Maria
 


Embora nunca se tenha falado tanto de Jesus como em nossos tempos, nunca se compreendeu tão pouco o que Ele disse como agora.
A maior parte dos seguidores de Cristo, inclusive os que frequentam Igreja, não sabem quem Ele é nem porque Ele veio ao mundo.
Ainda que muitos respondam automaticamente que Ele é o ”Filho de Deus” que ”veio ao mundo para nos salvar”; a grande maioria desses, não sabem o que significa ser ”O Filho de Deus”, nem no que consiste essa salvação que Ele veio operar em nosso favor.

A grande maioria dos que se dizem seguidores de Cristo, vivem em contradição teórica e prática com aquilo que ensinou o Messias.
Os conceitos cristãos de amor, alegria, bem, felicidade, paz e tantos outros sofreram tal influencia da mentalidade revolucionária reinante em nossos dias que, ou perderam o seu sentido original ou passaram a significar exatamente o contrário de antes.
A geração da tecnologia e do conhecimento específico, renunciando à racionalidade no entendimento de Deus, do mundo e do homem mesmo, passou a pautar sua conduta em sentimentos e no imperativo da vontade sobre a razão. Faz-se o que se quer sem se perguntar se é certo ou errado. E quando se pergunta, se desvia o critério, antes racional e alheio a nós mesmos, para ter como parâmetro a própria vontade.
Foi seguindo essa lógica perversa que chegamos a esse ser esdrúxulo que é o ”cristão” de hoje… que defende (consciente ou não) as mais variadas ideias, ideologias ou comportamentos contrários a fé que diz professar…
Como resultado desse desconhecimento, desprezo e incoerência com a Palavra de Deus temos hoje uma multidão de pessoas que se dizem cristãs e que:
01- Defendem o aborto(ou apoiam partidos e organizações abortistas), mas são contra as pessoas terem uma arma para se defenderem;
02- Não veem maiores problemas no sexo livre e não enxergam mais o nexo entre o ato sexual e as consequências inerentes ao mesmo;
03- Acham normal o divórcio e as ”famílias alternativas”, mas veem com estranheza famílias normais com quatro filhos ou mais;
04- Acham que todas as religiões são iguais e que todas podem salvar;
05- São simpáticas ou adeptas do socialismo marxista e não veem nenhuma contradição em um cristão apoiar o PT e outros partidos revolucionários;
06- Que frequentam associações ou outras religiões cujas doutrinas e práticas são condenadas pela Bíblia e pela Igreja;
07- Creem que não há nenhum mal em se frequentar, promover, gostar e patrocinar eventos como o carnaval, Parada Gay, baile Funk, etc;
08- Defendem que não se pode corrigir as pessoas pois cada um tem sua forma de pensar…e discordar de determinadas ideias ou comportamentos seria preconceito;
09- Acham que Deus, porque nos ama, não se importa com o que fazemos, desde que sejamos pessoas ”boas” e façamos alguma caridade ao nosso próximo;
10- Acreditam que Deus, porque é misericordioso, perdoará a todos e não condenará a ninguém, pois é ”Pai”; etc; etc; etc;…
Quando se explica de modo claro e objetivo a incompatibilidade dessas e outras ideias e comportamentos com a fé cristã, esses mesmos ”cristãos”, em geral pacifistas e adeptos do ”dialoguismo”, se exasperam e acusam seus oponentes de serem fundamentalistas, reacionários, preconceituosos, retrógrados, desalmados, insensíveis, fechados ao ”novo”, etc..
O ”deus” destes ”cristãos” de nosso tempo, é um ser totalmente bondoso e compreensivo, que não tem regras, nem mandamentos, nem exigência nenhuma…tudo o que ele quer é que as pessoas sejam felizes fazendo o que elas gostam.
Esse ”deus” dos modernos ”cristãos” ”iluminados” é um ”deus” totalmente misericordioso e tolerante, que a todos perdoa e a ninguém condena. Que ama as pessoas como elas são e não se importa com o que elas fazem… que acolhe a todos do jeito que vivem e com as práticas que têm…ele é puro amor, por isso a ninguém castiga e tudo tolera, pois ”infinita é a sua misericórdia”…
Esses modernos ”cristãos” se creem portadores de uma moral superior, desconhecida outrora pelos rudes antepassados na fé… possuem uma fé tão madura que acolhe todos os credos e culturas; um amor tão superior que não condena nenhum comportamento, nenhuma ideia… enfim um coração tão expansivo que acolhe todas as ideologias e formas de pensamentos, menos claro, a daqueles cristãos reacionários que querem impor sua fé e sua moral a todos os demais cristãos e até aos outros…
Quando se mostra a essas pessoas que na verdade a fé delas é em um falso ”deus” que nada tem a ver com o Deus da Bíblia revelado em Jesus Cristo; e que na verdade elas são idólatras, adoradores de um ”deus” criado por elas, à sua imagem e semelhança, razão pela qual não são cristãs em sua forma de pensar e agir… então elas se irritam, esbravejam e nos acusam de fundamentalismo, batem o pé dizendo que são cristãs sim… e que: ”quem somos nós para julgá-las”, etc… querem por todas as formas mostrar que é possível o círculo ser quadrado… e que eles são cristãos…
Quando os pretensos cristãos são confrontados com as palavras de Cristo que desmontam suas afirmações relativistas e demostram, por exemplo, a ordem de Cristo para se pregar o Evangelho a todas as nações e fazer de todos os povos seus discípulos (Mt.28, 18ss), logo se apressam a dizer que eles veem de modo diferente…
Quando se mostra que Jesus manso e humilde de coração, acolheu a todos, mas de todos exigiu a conversão e a mudança de vida, colocando a renuncia ao pecado como condição para segui-lo (Jo.8,11), os mais misericordiosos do que Cristo dizem: ”o que importa é o amor…”.
Quando se prova com as palavras de Cristo que o verdadeiro amor a Deus implica na OBEDIÊNCIA aos seus mandamentos (Jo.14,15), dizem que o ”deus” no qual acreditam não é legalista e que ademais é misericordioso e perdoa a todos…
Quando se faz ver que Deus é misericordiosos e perdoa sim a todos, desde que se arrependam de seus pecados e se disponham a mudar de conduta, reapresentam seus chavões dizendo que o ”deus” deles é compreensivo e não se importa com essa bobagem de pecado…que ele é bom, etc…
Quando se mostra que na Bíblia é Jesus quem mais falou do inferno (18 vezes), sendo categórico que não é possível servir a dois senhores (Mt.6,24), e que nossa salvação está condicionada à obediência aos mandamentos do Pai (Mt. 7,21); estas almas ”iluminadas” dizem seu ”deus” é amor e que não podemos ”julgar ninguém”… mimimimimi.
Em geral, esse povo que se proclama cristão, que jura ser católico, etc..não acredita na autoridade da Palavra de Deus e do Magistério da Igreja. Desprezam solenemente a fé e os valores cristãos naquilo que não se adequam à sua visão de mundo. Se acham mais justos e misericordiosos do que Cristo, pois querem enfiar no céu até quem não quer ir para lá…
A pretensa caridade dos sedizentes cristãos que professam fé em ”deus” que não tem mandamentos, nem leis, que acolhe tudo de todos, que é tão misericordioso que perdoa até os que de nada se arrependem, tem levado mais almas para o inferno do que todas as legiões do inferno juntas.
O diabo tem nesses falsos cristãos melhores colaboradores do que em qualquer dos seus camaradas chifrudos que estão no inferno.
Que Deus se digne socorrer o seu povo que se perde por falta de conhecimento (Os.4,6) e envie muitos santos sacerdotes e pastores de almas que não tenham medo de ensinar a verdade e tenham amor suficiente para enfrentar os lobos atuais e conduzir as ovelhas de Deus no caminho estreito da santidade e da salvação.

Padre Rodrigo Maria, - escravo inútil da Santíssima Virgem Fonte: www.padrerodrigomaria.com.br  via www.rainhamaria.com.br
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...