domingo, 7 de fevereiro de 2016

Viúvo se torna padre e espera ordenação do filho em Mogi

Do G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Ubirajara Gonçalves é o 1º diácono ordenado padre na diocese.
Filho dele, Samuel, de 19 anos, faz seminário para o sacerdócio.

 

A Diocese de Mogi das Cruzes ordenou padre, neste sábado (6), Ubirajara Gonçalves, de Poá. Ele é o primeiro diácono permanente a ser ordenado na região após casar, ter filho e ficar viúvo aos 53 anos. O mais curioso é que ele tem um filho que também trilha os caminhos do sacerdócio. O novo padre volta para a igreja de Guararema, onde já atuava como diácono e agora vai poder realizar um dos seus sonhos: celebrar missas.
O diácono é de Poá, tem 54 anos, foi casado e tem um filho. Depois de ficar viúvo decidiu seguir sua vocação. “É difícil de entender os caminhos de Deus. Eu amei muito a minha esposa e fui feliz no meu matrimônio. A agora eu sou feliz também como padre”, detalhou.
A missa de ordenação foi celebrada pelo bispo Dom Pedro Luiz Stringhini. O novo sacerdote vai auxiliar a paróquia Nossa Senhora da Escada e São Benedito, em Guararema.
Pai e filho de Poá pretendem se tornar padres; ordenação de pai viúvo já tem data. (Foto: Doralice M.F. Santos/Pastoral da Comunicação) 
Filho vai seguir os passos do pai e se tornar padre (Foto: Doralice M.F. Santos/Pastoral da Comunicação)

De pai para filho

O filho dele, Samuel, de 19 anos, segue os mesmos passos do pai: entrou no Propedêutico, junto ao Seminário Menor de Mogi, na Cúria Diocesana, que é o primeiro passo do caminho para o sacerdócio.
O rapaz credita sua escolha aos pais. “Eu desde pequeno sempre gostei do sacerdócio, achava muito bonito. Eu fui coroinha, depois cerimoniário. A vocação veio um pouco mais forte com o passar dos anos e com a ajuda dos meus pais que sempre me deram muita força.” Ele diz que leva uma vida normal, tendo terminado os estudos e feito até um curso técnico. O jovem destaca que atualmente sua vida é voltada à Igreja.
Diácono Ubirajara, de Poá, entrou no seminário ainda jovem, mas precisou sair para cuidar do irmão. Ele casou, teve um filho e após ficar viúvo vai retomar plano e se tornar padre (Foto: Doralice M.F. Santos/Pastoral da Comunicação) 
Ubirajara entrou no seminário ainda jovem, mas
precisou sair para cuidar do irmão. (Foto: Doralice
Santos/Pastoral da Comunicação)

História

Filho de pais evangélicos, o diácono Ubirajara se tornou católico aos 17 anos. Em 1987, aos 25 anos, ele ingressou no seminário em Aparecida determinado a se tornar padre. Mas algum tempo depois descobriu que um dos irmãos tinha câncer no cérebro e decidiu se afastar para cuidar dele. Ubirajara conta que cuidou do irmão por quase dois anos até que ele faleceu. Ele não voltou para o seminário e foi ser catequista.
Em um curso de catequese para crisma conheceu a esposa Maria Aparecida e, em 1994, se casaram. Em 1996, nasceu Samuel – o único filho do casal.
Gonçalves seguiu a vida com a família, mas sempre atuando com a esposa na Igreja Católica. Ele trabalhava como pedreiro. Em 2000, Maria Aparecida resolveu fazer uma surpresa para o marido. “Ela ligou para a Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, em Poá, que frequentávamos, e perguntou ao padre se a Diocese estava investindo na formação de diácono e no pagamento da faculdade de teologia. Ele disse que sim. Ela então sugeriu meu nome e ele aceitou. Ela me ligou para me contar, mas eu não acreditei. Só fui acreditar quando o padre me confirmou", lembra.
"Eu fazia o curso de teologia na Faculdade Paulo VI em Mogi durante a noite e de dia trabalhava como pedreiro. Uma vez por mês, sempre aos sábados, frequentava também a Escola Diaconal”, continua.
Diácono ladeado pelo filho e a esposa (Foto: Ubirajara Gonçalves/Arquivo pessoal) 
Ubirajara com o filho e a esposa (Foto: Ubirajara Gonçalves/Arquivo Pessoal)
Em 2010, a esposa de Gonçalves sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Apenas em fevereiro de 2013, ele foi ordenado e se mudou para Guararema para dar apoio na Paróquia Nossa Senhora da Escada e São Benedito.
Já debilitada pelo diabetes e pressão alta, a esposa de Gonçalves faleceu em julho de 2015, vítima de pneumonia. Com a morte e a decisão do filho de ir para o seminário, o diácono voltou a sonhar com o sacerdócio.
Pai e filho com o bispo de Mogi das Cruzes, Dom Pedro Luiz Stringhini (Foto: Doralice M.F. Santos/Pastoral da Comunicação) 
Ubirajara e o filho com o bispo de Mogi das Cruzes, Dom Pedro Luiz Stringhini (Foto: Doralice M.F. Santos/Pastoral da Comunicação)


Veja a reportagem com vídeo aqui!
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...