terça-feira, 14 de agosto de 2018

A Milícia da Imaculada: São Maximiliano Kolbe contra a Maçonaria

[infovaticana]


Em 1917, a Maçonaria celebra em Roma o segundo centenário de sua fundação. Você vê em toda parte bandeiras e bandeiras que representam San Miguel derrotado e derrotado por Lúcifer; Na Praça de São Pedro, o cântico é ouvido: "Satanás terá que reinar no Vaticano, o papa fará parte de sua guarda suíça!"



O irmão Maximiliano Maria Kolbe, franciscano conventual polonês, está atualmente estudando teologia no gregoriano em Roma. Diante das ameaçadoras manifestações contra a Igreja, o Irmão se pergunta: "É possível que nossos inimigos implantem tantas atividades para nos dominarem, enquanto permanecemos ociosos, fadados ao máximo a orar, sem agir"? Não temos armas mais poderosas, já que podemos contar com o Céu e a Imaculada? Graças à meditação das Sagradas Escrituras e dos Padres da Igreja; inspirado pela doutrina dos grandes santos marianos como São Luís Maria Grignion de Monfort; Considerando também o dogma da Imaculada Conceição e as aparições de Nossa Senhora em Lourdes, bem como o alcance prático e social dessas grandes verdades, nosso Irmão chegou à seguinte conclusão:
"A Virgem sem defeito, vencedora de todas as heresias, não cederá diante de seu inimigo ameaçador se encontrar servos fiéis, dóceis ao seu governo, Ela obterá novas vitórias, maiores do que poderíamos imaginar..."
Também em 1917 celebrou-se outro aniversário em Roma, data da vitória da Imaculada: a brilhante conversão do judeu Alfonso Ratisbonne, graças à eficácia da Medalha Milagrosa. Deste fato, o irmão Maximiliano concebe a instituição da Milícia Immaculata que tomará como sinal de adesão e proteção de seus "cavaleiros" a Medalha Milagrosa.
Assim, em 16 de outubro de 1917, na festa da aparição de São Miguel no Monte Tombe, três dias depois do milagre do sol de Fátima, o irmão Maximiliano, junto com seis companheiros e com a permissão de seus superiores, encontrou a Milícia da Imaculada (MI). A cerimônia aconteceu no altar da Imaculada, na capela do Colégio Seráfico.
O MI não é uma guilda que tem como meta a formação de uma categoria específica de pessoas, mas "é um movimento que deve liderar as massas e arrebatá-las de Satanás". Só de lá, isto é, dentre as almas já conquistadas pela Imaculada, será possível treinar alguns para alcançar o auge do abandono, até mesmo heroico, pela causa da difusão do Reino de Deus através da Imaculada. Todas as ordens religiosas, todas as congregações, todas as obras da Igreja podem pertencer ao MI. Pertencer ao MI permitirá a cada membro dar ao apostolado tudo de melhor que ele tem, e unir assim a perfeição cristã dentro do seu próprio estado, ou a sua profissão. "Vamos ter isto em mente:" É necessário que o MI é "transcendente" em vez de "geral", isto é, não se torna uma organização como tantas outras, mas penetra com profundidade as outras organizações. (L. 31, XII, 1935).

O Padre Kolbe distingue três graus dentro do Mi, que correspondem ao zelo, às capacidades e à vocação dos membros.

1. "No primeiro grau do MI, cada um se consagra separadamente à Imaculada e tenta perseguir o objetivo da milícia em particular, segundo suas próprias possibilidades e o que a prudência lhe dita." Falamos do militante de base, que rezar e agir sozinho.
2. "No segundo grau do MI, os membros estão vinculados por estatutos e programas específicos que, unindo suas forças, desejam perseguir seu objetivo mais rapidamente." Este é o grupo de oração e ação, que reúne vários membros do mesmo Instituto, distrito ou cidade, da mesma freguesia ou aglomeração.
3. "No terceiro grau do IM, a consagração é feita sem limites para a Imaculada Conceição. Desta forma, Ela poderá fazer de nós tudo o que Ela quer e como Ela quer. Somos todos Ela e Ela de nós. Fazemos tudo com a sua ajuda, vivemos e trabalhamos sob sua proteção".
Trata-se do grau da comunidade religiosa, inteiramente consagrada a este apostolado da Imaculada. "Em resumo: o primeiro grau limita-se à ação individual, o segundo acrescenta ação social, e o terceiro, limítrofe a qualquer limite, tende ao heroísmo" (Carta 25, V, 1920).

Estatutos originais do MI

(manuscrita por San Maximiliano)
"Ela esmagará a sua cabeça" (Gn 3, 15) "Só você conquistou as heresias do mundo inteiro" (Roman Breviary)

I. Objetivo

Seja solícito na conversão de pecadores, hereges, cismáticos, etc., e em particular dos maçons; e todos podem ser santos sob a proteção e mediação da Virgem Imaculada.

II. Condições

  1. Consagração de si mesmo à Virgem Imaculada como instrumento em suas mãos virginais.
  2. Vestir a medalha milagrosa

III Mídia

  1. Sempre que possível, reze pelo menos uma vez por dia a invocação: "Ó Maria, sem pecado concebido, rogai por nós que nos voltamos para Ti, e para aqueles que não se voltam para Ti, especialmente os maçons e aqueles que te são confiados"
  2. Usar todos os meios válidos e legítimos para a conversão e santificação dos homens, de acordo com as possibilidades e os diferentes estados ou condições de vida, nas ocasiões que surgirem; de acordo com o zelo e a prudência de cada um. A divulgação da Medalha Milagrosa é recomendada de uma maneira particular.
NB: Estes meios são recomendados como conselhos e não como uma obrigação; não há obrigação sob pena de pecado, nem mesmo venial. O principal motivo deste trabalho é trazer ao Coração de Jesus o maior número possível de almas através da Imaculada.

Padre Kolbe dá algumas explicações sobre MI

Por que deveríamos nos voltar para a Imaculada de maneira especial?

Somente através de Maria e nada mais senão através dela podemos obter a conversão de almas. Deus, em sua infinita bondade, estabeleceu a Nossa Mãe Santíssima como tesoureira de todas as graças, que são derramadas na terra somente através dela. É normal pedirmos graças a Deus, mas isso deve ser feito através da Imaculada (Conf. 30/5/1933).

Qual é a "total consagração" a Maria?

Gostaríamos de pertencer à Imaculada de tal maneira que não restasse em nós nada que não lhe pertencesse, nos aniquilasse nela, se transformasse nela, fosse "transubstanciada" nela, que não seja ela... que ajamos como ela é de Deus ( Carta 12/4/1933).

Este ato de consagração total é suficiente?

O amor pela Imaculada não consiste apenas em um ato de consagração, mesmo que seja orado com fervor, mas em sofrer muitas privações e em trabalhar para Ela sem cessar (Carta 10.2.1937).

Como esta consagração difere da "escravidão santa"?

Todas as consagrações a Maria, incluindo a de Saint Louis Marie Grignion de Monfort, participam do espírito do MI. Se quiséssemos encontrar uma diferença, teríamos que nos aprofundar nas expressões "como o seu bem e a sua propriedade". Pode-se dizer que o escravo (expressão de San Luis María) tem algum direito pessoal, mas o mesmo não pode ser dito de "bom" ou "propriedade". Expressões serão mais de acordo com o espírito do MI, mais profundamente eles expressam o senso de sacrifício de ego e de oblação. As expressões de servo, filho, escravo, boa propriedade são belas; mas gostaríamos de algo mais, gostaríamos de ser da Imaculada sem qualquer limite. Uma palavra unifica todas essas denominações expressivas e das quais teríamos muito a dizer: ser da Imaculada (Carta 12/4/1933).

É essencial fazer essa consagração?

É importante distinguir no IM o essencial do acidental. Esta ou aquela forma de organização não é essencial, mas a consagração de si à consagração imaculada, incondicional e ilimitada; Que o amor da Imaculada arda de tal modo em nós que as almas que nos rodeiam sejam queimadas por este fogo (Carta 13/12/1938).

Que influência esta consagração tem em nossas vidas?

Esta consagração não exige em absoluto que deixemos o mundo, nem a família, e que entramos em um mosteiro. Podemos continuar com o nosso estado de vida e nos dedicar às nossas atividades habituais; Agora, estes não serão mais oferecidos por nós mesmos, mas será a Imaculada, de quem somos propriedade, quem os oferecerá. Ela os oferece não como nossas obras, cheias de imperfeições, mas como se fossem suas, porque somos sua propriedade com tudo o que é apropriado para nós, até mesmo para nossas atividades. Agora, a Imaculada não pode oferecer a Deus nada que esteja contaminado; nas suas mãos imaculadas, as nossas obras imperfeitas tornam-se imaculadas como Ela, são purificadas e, portanto, adquirem um valor inigualável (Primeira Carta Circular em língua alemã, junho de 1938).

Nossas obras pertencem à Imaculada somente se pensarmos nela enquanto as executamos?

A natureza da consagração à Imaculada não consiste em pensar constantemente nela, mas na vontade. A alma, com o fiel cumprimento de seu dever de Estado, não deixa de ser propriedade da Imaculada; seus pensamentos, palavras e ações pertencem a você mesmo que você não pense sobre isso (Primeira carta circular em alemão, 10/6/1938).

Por que carregar e espalhar a Medalha Milagrosa?

É necessário usar, de acordo com o trabalho proposto pelo IM, todos os meios legítimos, especialmente aqueles que a Imaculada nos diz. A Medalha Milagrosa é uma delas (RN, 1937). Vamos distribuir a Medalha Milagrosa em todos os lugares que pudermos, tanto os bons quanto os maus, tanto os católicos quanto os não-católicos, pois, se algum deles mostrar à Imaculada a pequena homenagem de levar sua Medalha com eles Ela não mais o abandonará e o levará à fé e à penitência: é, portanto, necessário difundir sua Medalha e orar com fervor à Imaculada Conceição pela conversão e pelo próximo (dezembro de 1925).

Que outros exemplos de meios de apostolado você pode nos dar?

Não só é necessário defender a fé e contribuir para a salvação das almas, mas também é necessário conquistar as almas da Imaculada, uma a uma, atacando corajosamente, esquecendo-se, em um posto avançado, desdobrando sua bandeira na editoras, em jornais, em agências de notícias, em antenas de rádio, em institutos de arte e literatura, em teatros, cinemas, parlamentos e senados, em uma palavra, em toda parte, em todo o universo-mundo (Carta 21/12/1928).

Qual é o caráter peculiar do MI?

O MI existe não apenas como uma arma defensiva, mas também como uma arma ofensiva. Não é suficiente para nós defendermos a religião. Com força e confiança em nossa Rainha, avançamos para o acampamento inimigo, para caçar as almas e conquistá-las para a Imaculada... Todo coração que em qualquer lugar do mundo bate e bate até o fim do mundo, deve tornar-se propriedade da Imaculada: Este é o nosso ideal, que desejamos alcançar o mais rápido possível. (Carta 23/4/1929) Pensar que tantas almas nem sequer sabem o nome de Maria não dá descanso ao Cavaleiro da Imaculada. Ele quer ganhar o mundo inteiro para ela. Ele quer que ela penetre em todo coração que bate e bate sob o sol, para iluminá-lo com abundantes graças e para acender nele o amor de seu coração materno e o fogo do amor de Deus, do Coração de Jesus (Primeira carta circular em alemão, 06/10/1938).

MI é uma "milícia" que exige combate?

Podemos permanecer inativos antes dos ataques violentos dos inimigos da Igreja de Deus? É o suficiente para chorar e se lamentar? Não! Pensemos que no Julgamento Final seremos julgados não apenas pelas obras que fizemos, mas também pelas boas obras que poderíamos ter feito e não as fizemos (Caballero 1923) Sofrer, trabalhar e morrer como cavaleiros, não como morte "comum" Por exemplo, com um tiro no pescoço para selar nosso amor pela Imaculada, para derramar nosso sangue como um verdadeiro cavalheiro até a última gota e assim acelerar a conquista do mundo inteiro para Ela (RN, 1939).

Quais inimigos principais encontramos neste combate?

Em todo o mundo há uma luta contra a Igreja e contra a salvação das almas. O inimigo vem em muitas formas e nomes diferentes. Não é novidade que o socialismo aproveita a miséria dos trabalhadores para inoculá-los com o veneno da descrença. Os bolcheviques atropelam a religião diante de nós. Nós ouvimos os ensinamentos dos materialistas que reduzem o universo ao que é capturado pelos sentidos e assim persuadem que Deus e as almas imortais não existem. A teosofia difunde a indiferença religiosa; As Testemunhas de Jeová e outros protestantes estão recrutando cada vez mais adeptos à força de boas somas de dinheiro. Todos esses campos de ação estão unidos em uma única frente contra a Igreja (Caballero 1923). Por trás dessa frente está, no entanto, o principal exército do inimigo: o principal, o mais forte e o pior inimigo da Igreja: Maçonaria (Manuscrito: Os atuais inimigos da Igreja).

Como o MI entende o ecumenismo?

Você sozinho aniquilou todas as heresias em todo o mundo! Como devemos interpretar isso? Maria aniquilou as heresias, não os hereges, a quem ela ama e deseja ver convertidas. É precisamente por amor a eles que Maria os liberta da heresia e destrói neles o erro e as falsas concepções. Aniquila as heresias, isto é, não apenas as atenua ou diminui, mas também as destrói completamente, de modo que não restam mais vestígios. Todas as heresias? Todos, sem exceção! Onde? Em todo o mundo! Não só em um ou outro país, mas em todos os países do mundo! Você só os aniquilou! Você sozinho foi capaz de fazer isso! (Caballero, 1933).

O porquê das invocações ejaculatórias

Somos almas destinadas a levantar constantemente as mãos para orar; o futuro depende, em grande parte, dessas almas. Além da oração diária em comum, acrescentamos muitas orações privadas. Oração ou ação, por menor que seja, surtem efeito. Deus quer que governemos o mundo através da oração (Conf. 10/3/1940).

Existem grupos que realizam reuniões no MI?

Em cada localidade pode surgir um grupo "MI", cuja importância não depende tanto do número como do fervor do mesmo; mesmo diferentes grupos podem emergir, dependendo das diferenças sociais, condições e circunstâncias, [...] buscando conjuntamente os meios para obter o fim, examinando os resultados e aprimorando os métodos de ação baseados na experiência realizada (Carta 2). / 12/1931).

Esta estrutura é necessária para o apostolado?

A ação externa é boa, embora secundária, e mais que secundária em comparação com a vida interior, com a vida de recolhimento, oração e amor pessoal por Deus. À medida que nos voltamos cada vez mais para o amor de Deus, podemos inflamar esse mesmo amor nos outros (Carta 10/9/1940).

Nossa Senhora também pede penitência?

Do ponto de vista sobrenatural, os meios são a oração e o sofrimento. O trabalho não tem valor sem o sacrifício de nós mesmos (Conf. 5/3/1938). Devemos aceitar das mãos da Imaculada tudo o que Ela mesma tem para nos enviar, quando e como Ela quer, seja agradável ou não. As cruzes são necessárias, pois mesmo a Imaculada sofreu neste mundo muitas cruzes; O próprio Jesus não escolheu outro caminho (Carta 28/12/1934).

O que você poderia nos dizer como conclusão?

Não é este ideal de vida belo? Esforce-se para conquistar o mundo inteiro, os corações de todos e de cada um dos homens em particular, começando com o de si mesmo. Nossa força consiste em reconhecer nossa ignorância, nossa fraqueza e nossa miséria, e confiar sem medida na bondade e poder da Imaculada (Carta 11/12/1930). Uma grande batalha será travada sob a bandeira da Imaculada; levantaremos as bandeiras deles contra as hostes do príncipe das trevas; então, a Imaculada se tornará a Rainha do mundo inteiro e de cada alma particular... (Carta 3/5/1931)
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...