domingo, 15 de maio de 2016

5 revelações surpreendentes do “terceiro segredo” de Fátima

[aleteia]

Durante todo o século passado, pessoas do mundo inteiro elaboraram teorias para decifrar a mensagem oculta nos “três segredos” de Fátima, mas a Irmã Lúcia disse que a interpretação não pertencia ao vidente, e sim à Igreja. Cabe à Igreja interpretar os diversos sinais e símbolos de Nossa Senhora de Fátima, para oferecer aos fiéis um guia claro na compreensão do que Deus quer revelar.
A Igreja fez isso precisamente no ano 2000, quando o então cardeal Joseph Ratzinger, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, escreveu um longo comentário teológico e interpretação do famoso “terceiro segredo”. Ele esclareceu os sinais e símbolos que se encontravam nas visões da Virgem e fez algumas descobertas extraordinárias.
Apresentamos, a seguir, 5 revelações surpreendentes que derivam do “terceiro segredo” de Nossa Senhora de Fátima, exatamente da maneira como foram interpretados pelo então cardeal Ratzinger (atual papa emérito Bento XVI).

1. Penitência, penitência, penitência

“A palavra-chave desta parte do ‘segredo’ é o tríplice grito: ‘Penitência, Penitência, Penitência!’ Volta-nos ao pensamento o início do Evangelho: ‘Pænitemini et credite evangelio’ (Mc 1, 15). Perceber os sinais do tempo significa compreender a urgência da penitência, da conversão, da fé. Tal é a resposta justa a uma época histórica caracterizada por grandes perigos, que serão delineados nas sucessivas imagens.”
A mensagem central de Nossa Senhora de Fátima era “penitência”. Ela quis recordar ao mundo a necessidade de afastar-se do mal e reparar os danos provocados pelos nossos pecados. Esta é a “chave” para compreender o resto do “segredo”. Tudo gira ao redor da necessidade de penitência.

2. Nós preparamos a espada de fogo

“O anjo com a espada de fogo à esquerda da Mãe de Deus lembra imagens análogas do Apocalipse: ele representa a ameaça do juízo que pende sobre o mundo. A possibilidade que este acabe reduzido a cinzas num mar de chamas, hoje já não aparece de forma alguma como pura fantasia: o próprio homem preparou, com suas invenções, a espada de fogo. Em seguida, a visão mostra a força que se contrapõe ao poder da destruição: o brilho da Mãe de Deus e, de algum modo proveniente do mesmo, o apelo à penitência.”
Esta parte da aparição tende a ser a mais angustiante. Parece que Deus pode destruir todos com uma “espada de fogo”. Mas o cardeal Ratzinger, no entanto, sublinha que a “espada de fogo” seria algo criado por nós mesmos (como a bomba atômica), e não um fogo que desce do céu. A boa notícia é que a visão afirma que a espada de fogo é extinta no contato com o esplendor da Virgem, em conexão com o convite à penitência. Maria tem a última palavra e seu esplendor pode deter qualquer cataclismo.

3. O futuro não está gravado em pedra

“É sublinhada a importância da liberdade do homem: o futuro não está de forma alguma determinado imutavelmente, e a imagem vista pelos pastorinhos não é, absolutamente, um filme antecipado do futuro, do qual já nada se poderia mudar. Na realidade, toda a visão acontece só para chamar em campo a liberdade e orientá-la numa direção positiva. O sentido da visão não é, portanto, o de mostrar um filme sobre o futuro, já fixo irremediavelmente; mas exatamente o contrário: o seu sentido é mobilizar as forças da mudança em bem.”
Ao contrário da convicção popular, as intensas visões oferecidas por Nossa Senhora de Fátima não são uma previsão do futuro, do que vai acontecer. São uma previsão do que poderia acontecer se não respondermos ao convite à penitência e à conversão do coração, que Ela faz. Ainda temos nosso livre arbítrio, e somos convidados a usá-lo pelo bem de toda a humanidade.

4. O sangue dos mártires é semente da Igreja

“A conclusão do ‘segredo’ (…) é uma visão consoladora, que quer tornar permeável à força santificante de Deus uma história de sangue e de lágrimas. Anjos recolhem, sob os braços da cruz, o sangue dos mártires e com ele regam as almas que se aproximam de Deus… Tal como nasceu a Igreja da morte de Cristo, do seu lado aberto, assim também a morte das testemunhas é fecunda para a vida futura da Igreja. Deste modo, a visão da terceira parte do ‘segredo’, tão angustiante ao início, termina numa imagem de esperança: nenhum sofrimento é vão, e precisamente uma Igreja sofredora, uma Igreja dos mártires torna-se sinal indicador para o homem na sua busca de Deus.”
É verdade que a visão contém muito sofrimento, mas não é em vão. A Igreja pode ter de sofrer muito nos anos vindouros, e isso pode não ser uma surpresa. A Igreja viveu a perseguição desde a crucificação de Jesus, e nosso sofrimento na época atual produzirá efeitos positivos no futuro.

5. Tende confiança! Eu venci o mundo

“’O meu Imaculado Coração triunfará.’ Que significa isto? Significa que este Coração aberto a Deus, purificado pela contemplação de Deus, é mais forte que as pistolas ou outras armas de qualquer espécie… O maligno tem poder neste mundo… Tem poder, porque a nossa liberdade se deixa continuamente desviar de Deus. Mas… a liberdade para o mal deixou de ter a última palavra. O que vale desde então, está expresso nesta frase: ‘No mundo tereis aflições, mas tende confiança! Eu venci o mundo’ (Jo 16, 33). A mensagem de Fátima convida a confiar nesta promessa.”
Para concluir, o “segredo” de Fátima nos dá esperança neste mundo lacerado pelo ódio, pelo egoísmo e pela guerra. Satanás não triunfará, e seus planos malignos serão impedidos pelo Coração Imaculado de Maria. Poderá haver sofrimento no futuro próximo, mas, se nos afiançarmos em Jesus e sua Mãe, sairemos vitoriosos. 
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...