quarta-feira, 13 de abril de 2016

As lições da poda

[cancaonova]
Prof. Felipe Aquino
 


Você já experimentou podar alguma planta em sua casa? Já experimentou podar uma roseira, um arbusto ou uma aceroleira? Esta é uma experiência bem interessante. Todos deveriam fazê-la e aprender a observá-la.
Veja bem, as podas nos vegetais são fundamentais para sua conservação, seja ela de vegetação nativa, ornamental ou de grandes áreas cultivadas. São essenciais para manter a planta saudável e com um desempenho adequado às suas características.
Também na nossa vida espiritual é preciso aprender a fazer “as podas” necessárias para que a nossa alma cresça robusta na vida divina e dê frutos de salvação.
Jesus, que sabia usar muito bem as lições da natureza criada por Deus, fala dessa poda necessária para quem quer ser seu discípulo: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não der fruto em mim, ele o cortará; e podará todo o que der fruto, para que produza mais fruto”(Jo 15,1). Perceba, Ele diz que o ramo que não dá fruto será cortado e jogado fora, e podará exatamente aquele que dá fruto, para que dê ainda mais.
Eu pude viver essa experiência recentemente em meu quintal. Ali existem duas aceroleiras. Estas são árvores maravilhosas, resistentes e dão frutas em grande quantidade quase o ano todo. Mas eu notei que elas cresceram muito e as acerolas estavam pequenas. Então, fiz uma poda geral nelas. Incrível! Na safra seguinte as frutas nasceram em menor quantidade, mas de tamanho bem maior. Fiquei surpreso. Quando fui fazer a colheita, onde colocasse a mão, recolhia belas acerolas graúdas e saudáveis.
Fiquei pensando na minha vida espiritual. Senti como se Deus me falasse: “Veja o Meu amor espelhado nessa árvore, nessas frutas… Você não fez quase nada para colher toda essa abundância…”.
Confesso que eu não estava muito animado de colher as frutas. Mas, pensei: “puxa vida, Deus faz isso com tanto amor a nós; e tem tanta gente que gosta de comer acerolas ou de fazer um bom suco, tão saudável à saúde!”. Acabei adiando um pouco o meu trabalho no computador e fui colher as frutas. Colhi cerca de 10 litros delas e mandei aos filhos e a uma amiga que gosta muito.
Isto me fez pensar! Deus nos dá tantos frutos, mas a gente nos os colhe, como tantas acerolas que eu vejo cair no chão porque eu não as colhi. Deus derrama frutos abundantes em nossa vida, mas a gente não pára para pensar, agradecer, colher e até levar para os outros. Essas acerolas me fizeram pensar muito na bondade de Deus e em nossa omissão em responder-lhe com gratidão. Não será por isso que tantas vezes nós ficamos na penúria, ao lado de tantas “farturas divinas”?
Cada vez que olhava para a minha mão repleta das frutas, eu dizia no silêncio de minha alma: “Obrigado Senhor, por Vosso amor tão grande a nós; e perdão por tantas e tantas vezes que eu não reconheço e não Te agradeço; quero ser mais atencioso às Suas graças, tão belas e tão gratuitas”.
Naquela colheita meu espírito viajou em Deus. Fiquei pensando em tantas outras frutas maravilhosas que eu vejo na feira: lindas bananas, que já vem até “embrulhadas” naturalmente; belas maçãs, abacaxis, mamãos, laranjas… É um verdadeiro banquete natural, um imenso milagre do qual tanto nos acostumamos que nem mais pensamos neles. Tudo isso o Criador preparou para nós, com belo aspecto e delicioso saber. Prometi a Deus que toda vez que eu levar uma fruta desta à boca quero lhe dizer: “Muito obrigado Senhor! Bendito seja o Vosso Nome!”

Mas, agora, preciso voltar às podas… Os botânicos ensinam que existem três tipos básicos de podas:
1-A poda de formação;
2-A poda de produção;
3-A poda de limpeza.
A poda de formação é feita no início da vida do vegetal, quando este atinge um certo tamanho e precisa sofrer uma correção no rumo de seu desenvolvimento. Isto faz com que as plantas cresçam mais fortes e alcancem o máximo de sua produtividade. Penso que na vida espiritual são as orientações e toda a formação que precisamos receber no início da vida cristã, sobretudo nas catequeses de Primeira Comunhão, Crisma, e em toda a educação cristã recebida no lar dos pais.
A poda de produção é feita para aumentar a produção e a produtividade de uma planta. Mas, para dar bom resultado o agricultor deverá conhecer muito bem o processo vegetativo das plantas, pois, se a poda for mal feita, pode diminuir a produtividade, ao invés de aumentá-la.
Assim também é na nossa vida espiritual. Não é qualquer orientador que pode ir podando a sua alma, senão pode lhe fazer até mal. Santa Teresa de Jesus dizia que o bom diretor espiritual deve ser sábio, douto e santo, para não prejudicar o dirigido. E ela diz que foi algumas vezes prejudicada por isso. Não é muito fácil encontrar um assim, não é? Mas é preciso procurar; se não o achar pessoalmente, aconselho que leia seus livros; eles me fazem muito bem, especialmente os escritos pelos santos, pelos papas e grandes monges e sacerdotes. E também alguns grandes leigos.
As podas devem ser feitas com ferramentas adequadas, para cada tipo de planta ou cultura. Não devem ser feitos cortes irregulares e, para isso, os instrumentos utilizados devem ser bem cortantes e afiados. Como as podas são feitas desde pequenos vegetais até grandes árvores, as ferramentas utilizadas podem e devem ser bem diferentes: desde um alicate até uma motosserra. Tudo isso precisa ser observado também na vida espiritual. O exercício do podador exige perícia, exige conhecer a alma humana, amá-la profundamente e saber respeitá-la sempre.
A poda de limpeza é a mais conhecida, utilizada em grandes plantações e em jardinagem caseira. Ela visa eliminar galhos ou ramos mortos, secos, ou que apresentem má formação. Isto faz com que a energia vital da planta não seja “desperdiçada” com estes ramos ou galhos fracos e penosos para a planta.
Ó meu Deus, como precisamos dessa poda! Quantas ervas daninhas no jardim da nossa alma sugando a sua seiva e impedindo seu desempenho! São os nossos pecados. Quem não tem na alma aquele galho ressequido da inveja, do orgulho, da vaidade? Quem não traz na planta da alma a preguiça, as mentiras, aquela gula indomável, aqueles ataques de ira, de ódio e desejo de vingança? É…, precisamos deixar o Jardineiro divino, o Espírito Santo, fazer uma poda contínua na nossa alma. Quantas vezes a planta até morre por causa das ervas daninhas que a tomam e a sufocam… Diz um provérbio chinês que a culpa não é da erva má, mas da preguiça do agricultor que não a arrancou.
Outra coisa que eu aprendi com a minha “professora” acerola, é que a poda precisa ser feita sempre, porque continuamente ela produz ramos fracos que precisam ser eliminados. Então entendi a importância de sempre estar em meditação, frequentando sempre um Retiro, um bom Encontro, um grupo de oração, meditando sempre a Palavra do grande Jardineiro. Se você observar as plantas, as flores, os animais e os homens, com os olhos de Deus, no silêncio da alma, sem pressa, Deus falará muito a seu coração.
E tem mais, como toda poda é uma “mutilação”, em certos casos os especialistas dizem que é bom usar algum produto especial, no local do corte, para que haja uma cicatrização mais rápida e eficiente. Assim a poda será mais eficiente. Será que nas nossas podas interiores isso também é importante? Pense nisso tudo!
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...