quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Cartas de João Paulo II e as chamas das fofocas

Por



A cadeia britânica BBC lançou primeiro um texto depois apresentou na televisão com o título: “Cartas de João Paulo II revelam a sua “intensa” amizade com uma mulher” («Pope John Paul letters reveal ‘intense’ friendship with woman», 15.02.2016 ). O programa foi transmitido na noite da segunda, 15 de fevereiro de 2016. Na reportagem da BBC, sutilmente, colocou-se em dúvida o tipo de relação que Wojtyla teve com a filósofa americana de origem polonesa, Anna Terese Tymieniecka e foi usado para atrair a atenção para um programa de televisão dedicado inteiramente à amizade “intensa” amizade de um eclesiástico com uma mulher casada.
Para alimentar mais ainda a imaginação do leitor ou telespectador o documentário joga com dados que apresenta sobre a amizade Wojtyla-Tymieniecka. Apesar de admitir abertamente que eles não leram todas as cartas (daí exclusivamente a publicação de só alguns parágrafos que se tornam chamativos fora do contexto), a BBC e o apresentador Ed Stourton fazem uso de expressões como “relação de um Papa com uma mulher atraente” ou de apresentar o convite que Anna Terese fez ao então Cardeal Karol Wojtyla para passar uns dias de descanso em sua casa nos Estados Unidos (publicando também algumas fotos daquele momento) e até mesmo destacando que, já como Papa, João Paulo II presenteou “uma das suas mais valiosas posses” a Tymieniecka: um escapulário.
A realidade é, no entanto, menos mórbida: a mulher atraente era casada, tinha três filhos, e João Paulo II relacionou-se não exclusivamente com Anna Terese, mas com toda a sua família. Quando em 1976 o filósofo Wojtyla visitou os Estados Unidos não foi por ócio, mas para participar de um congresso dos bispos católicos americanos. Aproveitando a viagem visitou também a família de Anna Terese e o fato de outra pessoa ter tirado a foto mostra que efetivamente eles não estavam sozinhos. Naturalmente algum valor tem o escapulário, mas, sem dúvida, não tem o valor de segundas intenções que querem dar a ele. A prática de presentes desse tipo não é algo raro nos eclesiásticos. Curiosamente, apesar de induzir a encontrar segundas intenções em tudo, a mesma reportagem da BBC diz explicitamente que “Não há nenhuma sugestão de que o Papa quebrou o seu voto de celibato”.
João Paulo II e Anne Terese começaram a se relacionar porque esta última se interessou pela obra de “Pessoa e Ação” de Wojtyla. De fato, juntos trabalharam na revisão da obra e na sua tradução ao Inglês.
O vice-diretor da Sala de Imprensa do Vaticano, Greg Burke, disse nesta segunda-feira, 15 de fevereiro, à imprensa: “No que se refere ao documentário da BBC não devemos admirar-nos de que João Paulo II tenha tido amizades estreitas com várias pessoas, tanto homens quanto mulheres. Ninguém pode surpreender-se com esta notícia”.
Por seu lado, a Biblioteca Nacional da Polónia, onde se encontra a correspondência completa entre Tymieniecka e Wojtyla (e que a BBC não teve acesso) emitiu um comunicado dizendo: “João Paulo II estava rodeado por um círculo de amigos eclesiásticos e leigos, com os quais tinha um contato próximo. Neste círculo estava também Anna Teresa Tymieniecka, mas a relação com ela não era nem confidencial e nem excepcional “.
Não é a primeira vez que lançam calúnias neste mesmo sentido contra João Paulo II. Algo análogo aconteceu em 2011 ao dar-se a conhecer o epistolário que o hoje santo teve com a doutora Wanda Poltawska (que mais tarde se tornou o livro “Diário de uma amizade”). Portanto, a tentativa da BBC nem sequer tem o selo de originalidade. Talvez devemos sim classificar o trabalho da emissora BBC britânica on-line de jornalismo big brother, cuja única finalidade é entreter, não informar, atiçando as chamas das fofocas.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...